sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Código do Google é 5 mil vezes maior que de nave espacial

Quando abrimos o Google para realizar uma pesquisa na internet, nos deparamos com uma página simples e de carregamento rápido. No entanto, com algoritmo extremamente complexo.

Google
Google Ver imagem »


Diariamente inúmeras pessoas utilizam os buscadores web para encontrar algum tipo de conteúdo na internet, como novos sites, blogs, imagens, músicas, filmes e vários outros tipos de material compartilhado na rede constantemente, e cada internauta utiliza o buscador que mais lhe agrada. No entanto, o Google é o serviço de busca mais utilizado no mundo, e são poucos os usuários que imaginam o trabalho necessário para manter essa plataforma ativa.

O Google detém dezenas de propriedades Web que coletivamente são executadas em milhares de milhões de linhas de código, nada mais nada menos que 2 bilhões. Dentre esse número gigantesco de comandos de programação, estão serviços online como o Google Maps, Plus, Pay, Photos, Gmail e Drive, mas não conta o sistema operacional Android e o navegador Chrome.

Incrivelmente, o ônibus espacial original, uma relíquia de 1982, exigia um sistema de código com apenas 400 mil linhas para lançar uma tripulação e várias toneladas de combustível em órbita. Colocando isso em perspectiva, a sua busca por mimes engraçados requer uma programação 5 mil vezes maior do que foi necessário para mandar os astronautas para o espaço.

Gráfico quantidade linhas códigos serviços
Comparativo de quantidade de linhas de código Ver imagem »

Para se ter uma ideia melhor de como foi o avanço no nível de programação ao longo do tempo, o sistema operacional Windows 3.11, lançado ainda na década de 90, tinha aproximadamente 4,5 milhões de linhas de código, o mesmo que é encontrado hoje em dia em leitores de Blu-ray. Já o Windows 7, ultrapassou a barreira dos 39 milhões de linhas de comando, e a rede social mais acessada do mundo, o Facebook, ultrapassou a marca de 61 milhões.

Gráfico linhas código Google Facebook
Comparativo de linhas de código do Google e Facebook Ver imagem »

Toda a programação do Google é armazenada em um único repositório, o qual especialistas acreditam ser o maior do mundo. Tudo é gerenciado por um sistema chamado Piper, que controla todas as modificações efetuadas pelos engenheiros nas versões dos comandos. Todo o código é distribuído por 10 data centers da empresa e seu tamanho chega a quase 90 TB.

Além dessa capacidade monstruosa, existem ainda uma série de bots que ajudam os engenheiros com a criação de arquivos de configurações, a fim de facilitar a manutenção e atualização das linhas do algoritmo pelos profissionais responsáveis, já que são realizadas cerca de 15 milhões de alterações por semana pela equipe técnica.

Porém, nem todos os comandos ficam armazenados no mesmo data center, ou sequer pode ser acessado por qualquer funcionário da empresa. O Page Rank, por exemplo, é mantido a sete chaves, e apenas uma equipe específica tem autorização para manipular esse algoritmo, já que ele é a joia maior do Google, responsável por analisar, filtrar e escolher quais os resultados aparecerão nas pesquisas, e também definir suas respectivas posições de exibição.

Contudo, não é por menos que o Google é considerado um gigante da tecnologia. E caso você não saiba, o termo Google tem origem na matemática, baseado na definição de googol, que é o número 10 elevado a 100, ou seja, o dígito 1 seguido de cem zeros. O googol não tem qualquer utilidade, a não ser para explicar a diferença entre um número imenso e o infinito, e devido a sua magnitude, os fundadores da empresa resolveram adaptar o termo para dar o nome a sua marca.

Depois de ter sido criado o googol, foi criado um outro número ainda maior, o googolpex, que é o mesmo que 10 elevado a um googol. Googolpex é também o nome dado ao complexo de edifícios que formam a sede da empresa Google, que fica na cidade de Mountain View, nos Estados Unidos.

Via the Next Web.


Imprimir ou salvar este artigo como PDF



Shopping



Um comentário :
  1. Olá internauta!

    Antes que eu me esqueça, se você tiver alguma dúvida, sugestão ou informação que complemente este conteúdo, por favor, compartilhe conosco através de um comentário.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blog DiGa Tech. Ao se manifestar através desta plataforma, você alega estar em conformidade com a nossa política de comentários. Caso fique em dúvida, leia as perguntas frequentes e saiba o que consideramos inapropriado ou ilegal. Viu algum comentário que viola os nossos termos gerais de uso? Então denuncie!