segunda-feira, 12 de setembro de 2016

América Latina quase dobra acesso à internet em 5 anos

Número de residências com acesso à internet na América Latina cresceu satisfatoriamente entre os anos de 2010 e 2015. No entanto, serviço não beneficia nem metade da população.

Acesso internet - Cabo fibra óptica
Acesso à internet Ver imagem »


De acordo com o Cepal, Comissão Econômica para América Latina e Caribe, o número de residências com acesso à internet teve um crescimento médio de 14,1% entre 2010 e 2015, o que praticamente quase dobrou a quantidade de casas com conexão à web, atingindo 43,4% dos domicílios da região.

Se o período analisado pela pesquisa for estendido um pouco mais, e levarmos em conta os números apresentados entre os anos 2000 e 2015, o crescimento anual de usuários conectados à internet, em relação a população total da América Latina, foi de apenas 10,6%, o que pode ser considerado baixo, já que no início do século, a internet era tida como item de luxo, e agora é um serviço de necessidade básica, sendo um dos principais meios de comunicação, trabalho, estudo e entretenimento.

E como não deve ser novidade para ninguém, as regiões mais ricas obtiveram maior avanço no fornecimento de internet e melhoria na qualidade do serviço prestado, o que aumentou ainda mais a desigualdade entre as áreas mais desenvolvidas e as áreas mais pobres da região, divulgou a Cepal.

Um dos principais motivos do crescimento apresentado nesse período foi a diminuição dos custos da internet para os usuários. Enquanto em 2010, a média do gasto com um serviço de 1 Mbps ficava em torno de 18% da renda familiar, no primeiro trimestre de 2016 esse valor caiu para menos de 2%. Com isso, contribuindo drasticamente para o aumento das conexões de banda larga móvel, que passou de 7% em 2010 para 58% no final de 2015.

Na pesquisa realizada pela Cepal, 24 países foram analisados. Dentre eles, 3 tinham uma participação de menos de 15% de acesso à internet, 15 ficaram entre 15% e 45%, outros 3 países tiveram na faixa entre 45% e 56% de conexão, e somente Chile, Costa Rica e Uruguai atingiram taxa maior que 60% de acesso ao serviço.

O estudo ressaltou que os países que tiveram as maiores taxas de crescimento no número de lares conectados à Internet entre 2010 e 2015 foram Nicarágua, Guatemala, El Salvador e Bolívia. O maior aumento em número absoluto para cada 100 residenciais ocorreu na Costa Rica, que avançou de 24 para 60 no período.

Via Reuters.


Imprimir ou salvar este artigo como PDF



Shopping



Um comentário :
  1. Olá internauta!

    Antes que eu me esqueça, se você tiver alguma dúvida, sugestão ou informação que complemente este conteúdo, por favor, compartilhe conosco através de um comentário.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blog DiGa Tech. Ao se manifestar através desta plataforma, você alega estar em conformidade com a nossa política de comentários. Caso fique em dúvida, leia as perguntas frequentes e saiba o que consideramos inapropriado ou ilegal. Viu algum comentário que viola os nossos termos gerais de uso? Então denuncie!