sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Conheça os nomes de doces do Android e confira sua cronologia

Prestando atenção apenas no nome Android ou no logotipo da marca, não se imagina ligar um Sistema Operacional a um doce. A não ser que foque em seus codinomes!

Logotipo Android Marshmallow
Logotipo do Android Marshmallow Ver imagem »


Você não sabia? Desde o seu lançamento em setembro de 2008, com exceções das versões 1.0 e 1.1, a partir do Android 1.5, também conhecido como Cupcake, o Google vem batizando as novas versões do seu Sistema Operacional com nomes ou qualidades de doces famosos nos Estados Unidos. Seguindo essa filosofia e mantendo uma ordem alfabética nos apelidos do seu robozinho, a última versão lançada em outubro de 2015 pelo Google, foi o Android 6.0 Marshmallow. Então veja a seguir a cronologia do Android, escolha seu doce…quer dizer, seu Android favorito e confira o que mudou desde o seu lançamento há 7 anos.

A véspera do anúncio do Google em relação a uma nova tecnologia, muita coisa se esperava e se especulava sobre o que a empresa estaria planejando para alavancar ainda mais sua lucratividade. Muito se falou a respeito da marca entrar de vez no mercado de celulares e que estaria pretendendo mostrar ao mundo um dispositivo que viesse a revolucionar o seguimento de aparelhos móveis. Porém, após tantas especulações e questionamentos por parte da mídia global, o Google realmente surpreendeu a todos, mas não com o que se esperava, no entanto era sim algo que revolucionaria o comercio de smartphones, o lançamento do Android! Um Sistema Operacional baseado em software livre que poderia ser utilizado por qualquer fabricante com a possibilidade de modificar e personalizar o código ao seu modo, para melhorar a integração entre software e hardware, e proporcionar uma melhor experiência ao usuário. Dessa forma o Android vem passando por várias atualizações no decorrer do tempo, com correção de bugs, falhas de segurança e melhorias de desempenho e aplicativos. Veja abaixo as principais mudanças em cada versão.

Índice

Android 1.0

↵ Voltar
Screen shot Android 1.0
Tela do Android 1.0 Ver imagem »

Essa foi a primeira versão comercial do Sistema Operacional Android, lançado em setembro de 2008, ficou conhecido apenas como Android 1.0 e não recebeu nenhum apelido adocicado.

Ele era bem diferente do que é apresentado hoje aos usuários, porém na época já disponibilizava aplicativos do Google, que para a ocasião eram uma inovação nos celulares. Algo como um Media Player, Navegador Web, suporte à conexão Wi-Fi e a possibilidade de troca de arquivos usando a tecnologia Bluetooth.

Essa versão vinha com o Android Market, que permitia o download de novos aplicativos e conteúdo, e que mais tarde teria o seu nome alterado para Google Play Store.

Android 1.1

↵ Voltar
Screen shot Android 1.1
Tela do Android 1.1 Ver imagem »

Essa foi a primeira versão de atualização do Android, lançado em fevereiro de 2009, também ficou conhecido apenas por Android 1.1 e não recebeu nenhum codinome de guloseima. As mudanças em relação a versão original do sistema não foram tão grandiosas e trouxe algumas correções de bugs e falhas de segurança.

Entre as novidades de interface, ficaram o detalhamento e exibição de reviews de locais quando uma busca no Google Maps fosse realizada por parte do usuário. A versão 1.1 do Android ainda mudou e aprimorou o layout de realização de chamadas, deixando mais fácil e interativa a experiência de utilização desse serviço.

Android 1.5 – Cupcake

↵ Voltar
Screen shot Android Cupcake
Tela do Android Cupcake Ver imagem »

Essa versão do Android foi lançada em abril de 2009 e marcou a sequência de apelidos de doces que o sistema vem recebendo desde então. O Android Cupcake, ou bolinho em português, aderiu ao uso de Widgets, que vêm sendo utilizado até hoje nas versões mais recentes do sistema.

O Android 1.5 disponibilizou também a possibilidade de o usuário fazer reproduções e gravações de vídeos em Mp4 e 3Gp, adicionou efeitos de transição de telas, fez novas melhorias no teclado, incluindo a opção de escolher utilizar o celular na vertical ou horizontal, permitiu o uso de palavras personalizadas e a instalação de teclados desenvolvidos por terceiros disponíveis na Play Store.

Android 1.6 – Donut

↵ Voltar
Screen shot Android Donut
Tela do Android Donut Ver imagem »

O Android Donut, também conhecido como rosquinha, foi lançado em setembro de 2009 e trouxe várias mudanças importantes para os usuários. A partir dessa versão, a resolução de tela de 800 x 480 pixels passou a ser suportada. O sistema contou com uma caixa de pesquisa inserida na tela inicial, facilitando a procura de conteúdo e aplicativos no celular e a busca por informações na internet.

Essa versão do Android ficou marcada por incluir melhorias em relação a acessibilidade, e a principal delas foi um sintetizador de voz. Trouxe mais facilidades ao Google Play, incluindo a possibilidade de tirar screenshots de aplicativos.

Android 2.0 a 2.1 – Éclair

↵ Voltar
Screen shot Android Eclair
Tela do Android Eclair Ver imagem »

O Android Éclair, ou famosa bomba de chocolate, foi lançado em outubro de 2009 e marcou a primeira mudança radical do Sistema Operacional do Google.

Essa nova plataforma trouxe melhorias consideráveis no desempenho de hardware, apresentou uma interface totalmente modificada, mais simples e intuitiva, e se adequou os padrões de navegação em páginas HTML5, permitindo a abertura de sites com essa programação no seu navegador web.

Uma das novidades foi a implementação do o uso de múltiplas contas, o que possibilitava aos usuários importarem contatos de vários emails diferentes e fazer a sincronia dos dados para utilizar em um só lugar. Além disso, o Éclair possibilitou a utilização do serviço Microsoft Exchange.

Android 2.2 a 2.2.3 – Froyo

↵ Voltar
Screen shot Android Froyo
Tela do Android Froyo Ver imagem »

Que tal uma deliciosa e refrescante taça de Frozen yogurt? Pois é, foi se baseando no nome dessa delícia gelada, que em maio de 2010 o Google lançou o Android Froyo. Essa nova versão trouxe várias mudanças no sistema, porém a grande maioria a nível de código fonte, que otimizava o desempenho de hardware, aumentava a sua qualidade de gerenciamento de memória e fazia com que o smartphone aumentasse a sua performance a nível de utilização do usuário. Ou seja, basicamente o Froyo deixava o aparelho “mais leve”.

Uma das novidades que conquistaram os utilizadores dessa versão, foi a possibilidade que o Android deu de fazer instalação de novos aplicativos direto em um cartão de memória removível, o que poupava recursos do celular e garantia a boa estabilidade do sistema.

Android 2.3 a 2.3.7 – Gimgerbread

↵ Voltar
Screen shot Android Gimgerbread
Tela do Android Gimgerbread Ver imagem »

Essa versão do Android foi lançada em dezembro de 2010, e por algum tempo se manteve como a mais famosa, sendo aderida por vários fabricantes. Antes que você me pergunte o que é Gimgerbread…esse é um biscoito feito à base de gengibre e mel, confeccionado em formato de boneco e servido nas festas de fim de ano. Sabe qual é, certo?

Então falando do Sistema Operacional do Google, o Gimgerbread foi lançado com uma interface mais simples e toda remodelada, sua inovação foi o suporte à resolução de tela HD e a tecnologia NFC. Essa nova versão passou a utilizar o barômetro e o giroscópio, além de fornecer suporte ao uso de múltiplas câmeras em um mesmo dispositivo, o que fez aumentar a popularidade das lentes de captura frontais e que possibilita hoje que você abuse desse recurso para tirar as suas Selffies.

Android 3.0 a 3.2 – Honeycomb

↵ Voltar
Screen shot Android Honeyconb
Tela do Android Honeyconb Ver imagem »

O Android Favo-de-Mel foi lançado em fevereiro de 2011, e era uma versão dedicada aos tablets. Como ele era voltado para estes dispositivos, sofreu várias mudanças na sua interface afim de aumentar a experiência de navegação do usuário entre as telas.

Trouxe melhorias de câmera, aprimorou a utilização de multitarefas e passou a suportar processadores de múltiplos núcleos, o que deu um upgrade satisfatório nos dispositivos móveis. Inclusive, as Smart TVs da época, que utilizavam o Sistema Operacional do Google, rodavam o Android Honeyconb.

Android 4.0 a 4.0.4 – Ice Cream Sandwich

↵ Voltar
Screen shot Android Ice Cream Sandwich
Tela do Android Ice Cream Sandwich Ver imagem »

Que tal um sanduíche feito com dois biscoitos e um delicioso recheio de sorvete? Assim se define o Ice Cream Sandwich. Essa versão do Android chegou ao mercado em outubro de 2011 trazendo o botão virtual para os smartphones, o que permitia criar aparelhos dispensando qualquer tecla na base do dispositivo. Tecnologia que já era usada em tablets que rodavam o Android Honeyconb.

Essa versão também trouxe a possibilidade de transferir arquivos entre dois dispositivos através do NFC usando o Android Beam. Foi a partir do Ice Cream Sandwich que o Android passou a contar com um editor de fotos nativo. Ou seja, não era preciso recorrer a nenhum download de aplicativo na Play Store para editar suas fotos e arquivos de imagem preferidos.

O Chrome passou a suportar navegação com múltiplas abas, aceitando até 16 simultaneamente. O Android Passou a permitir que os usuários acessassem aplicativos direto da tela de bloqueio do celular, e na minha opinião o que mais chamou atenção foi a possibilidade de desbloquear o smartphone usando reconhecimento facial.

Android 4.1 a 4.3 – Jelly Beam

↵ Voltar
Screen shot Android Jelly Beam
Tela do Android Jelly Beam Ver imagem »

O Android Jelly Beam, ou Android Jujuba, foi lançado em julho de 2012 com uma versão compatível com tablets e smartphones. Chegou ao mercado com uma interface totalmente remodelada apresentando um design mais moderno e elegante. Essa versão disponibilizou o Android Beam também para ser usado com a tecnologia Bluetooth.

Implementou o sistema de notificações expansíveis e lançou o Google Photo Sphere no Jelly Beam 4.2, que permite a criação de fotos em 360 graus. Essa atualização do Android tornou possível a utilização de gestos na tela de bloqueio do smartphone para acessar a câmera de maneira mais rápida.

O seu sucessor, o Android 4.3 trouxe como atalho para a câmera, o botão de volume de áudio. Fez algumas melhorias no sistema de troca de arquivos via Bluetooth e lançou os perfis privativos, no intuito de coibir o uso indevido de cartões de crédito por partes de outros usuários do mesmo dispositivo.

Android 4.4 – Kit Cat

↵ Voltar
Screen shot Android Kit Cat
Tela do Android Kit Cat Ver imagem »

Esse Android com sabor de chocolate foi o primeiro a ser lançado em parceria com uma marca de doces, a Nestlé. Chegou ao mercado em outubro de 2013 e não trouxe mudanças radicais ao Sistema Operacional do Google. No entanto, suas alterações na interface agradaram aos usuários.

A princípio, na tela inicial de bloqueio do smartphone são apresentados dois atalhos, um para a câmera e outro para o aplicativo Google Now! Os ícones na barra de status, os atalhos para funções, o padrão na tela de bloqueio e outros aplicativos tiveram seu layout redesenhado, tornando-se mais moderno e elegante. O modo de leitura em tela cheia possibilita melhor aproveitamento do display, já que as barras de notificações e aplicativos se tornam ocultas.

A principal alteração dessa versão foi no App de telefone, que teve sua estrutura redesenhada para deixar o acesso e experiência do usuário mais fácil e intuitivo, permitindo agrupar entradas de chamadas realizadas ou recebidas e até mesmo fazer uma busca por alguma ligação. O kit Cat ainda trouxe um teclado mais aprimorado com novos recursos e funcionalidades, além de vir com o aplicativo Hangout nativo no sistema.

Android 5.0 a 5.1.x – Lollipop

↵ Voltar
Screen shot Android Lollipop
Tela do Android Lollipop Ver imagem »

O Android Lollipop, ou Android Pirulito, chegou ao mercado em novembro de 2014 e a mudança principal dessa versão está no seu layout. Com sua nova política visual, intitulada ‘Material Design’, essa alteração deixa os Apps mais modernos e bonitos, tornando a interface do Sistema Operacional mais estilosa.

A barra de notificações ficou mais simplificada dando acesso rápido ao que se precisa em menos tempo, sendo possível alterar as principais configurações do smartphone através dela, como por exemplo o Bluetooth, Wi-Fi e a regulagem de brilho da tela. O controle de volume sofreu algumas alterações, porém não agradou muito aos usuários, já que não tem como usar a função ‘mudo’ sem utilizar um botão dedicado a isso no display do aparelho.

Uma das modificações do Lollipop que realmente chamaram atenção, foi o gerenciamento de energia. Com uma aplicação mais rigorosa de controle de rede, luminosidade da tela do smartphone e outros componentes que consomem muita bateria, a economia fica garantida, ainda mais se a função ‘Modo Econômico’ for ativada, já que essa novidade faz com que o Android desative os efeitos de transição de tela, os efeitos translúcidos em aplicativos e barra de ferramentas e diminua o nível de desempenho do processador. Bacana, não? É claro que essa função vai deixar o seu smartphone um pouco mais lento, mas com certeza você irá ganhar um tempo extra até colocar o aparelho para recarregar.

Outra boa novidade está no sistema de contas de usuário do Lollipop, que permite salvar funções e configurações de perfis para várias pessoas diferentes, incluindo também a liberação de uma área reservada para convidados.

E o Google Now!? Esse recurso também passou por algumas modificações e agora pode ser utilizado mesmo com o smartphone bloqueado. Outra funcionalidade bacana, e que também passou por melhorias, é o desbloqueio da tela através do reconhecimento facial. Ao ligar o smartphone, o Android já faz um reconhecimento do seu rosto e já lhe permite acessar algumas configurações e notificações antes mesmo de inserir o seu código de acesso.

Dessa forma, o Pirulito foi desenvolvido para causar impacto. Simples, moderno e elegante, mostrou que o Google tem muitas ideias inovadoras para o seu sistema mobile e que os usuários podem sempre esperar melhorias surpreendentes.

Android 6.0 – Marshmallow

↵ Voltar
Screen shot Android Marshmallow
Tela do Android Marshmallow Ver imagem »

Vai dizer que você não gosta? Aquele Cappuccino saboroso com creme e Marshmallow ou então aquela taça de sorvete de chocolate com cauda e cobertura de Marshmallow. Não? Então ok! Mas esse foi no apelido que a versão 6.0 do Android recebeu. Lançado em outubro de 2015, essa versão do Sistema Operacional do Google chegou para mostrar que sempre é possível melhorar. Mas, será que as novas mudanças dão um gostinho diferente a essa guloseima?

A animação durante o carregamento do sistema mudou um pouco, seguindo a interface colorida, marca do Android. O tempo de carregamento continua parecido com o do Lollipop, mas isso varia de aparelho para aparelho. Logo no início percebe-se que o relógio passou por alterações, agora com fontes mais largas, e mais robusto, deixa o layout com um aspecto mais moderno e elegante.

O menu principal do Android Marshmallow não mudou muito, mas ficou mais simples e intuitivo, continua com o seu sistema de pesquisa e agora é possível navegar em ordem alfabética. Em relação as animações de transição de tela, pouca coisa mudou, já o menu de opções de edição de texto sofreu algumas alterações significativas, aparecendo agora ao lado da área a ser editada e oferecendo os ícones de selecionar tudo, copiar ou compartilhar.

Essa versão do Android permite que usuário personalize a barra de atalhos rápidos com possibilidade de adicionar ou remover aplicativos.

Como o Google já havia prometido, o Android ficou mais inteligente. Agora com o sistema Now on Tap é possível que o Marshmallow analise o que você mais visualiza na internet e após pressionar e soltar o botão Home, o aplicativo exibe alguns links relacionados ao que estava sendo exibido anteriormente. O Android 6.0 faz interpretação de links entre aplicativos, e sabe se é para abrir algo no YouTube, Twitter ou Facebook.

Não pense que o sistema de controle de bateria ficou apenas por parte do Lollipop, pois o Marshmallow promete melhorar ainda mais a economia de energia, já que ele coloca os aplicativos em modo Stand By e até mesmo deixa o smartphone em hibernação quando não está em uso. Isso não é coisa do outro mundo, mas pode ajudar bastante.

Algo que merece destaque nessa versão, é o backup automático de arquivos e aplicativos direto para o Google Drive, o que pode ajudar bastante se você precisar trocar de smartphone.

O Google afirma que o Android 6.0 irá rodar na maioria dos aparelhos e que a satisfação dos usuários será garantida.

Gostou dessa curiosidade sobre o Android? Então curta e compartilhe esse artigo com os seus amigos. Vamos fazer disso um incentivo para o DiGa tech continuar lançando publicações de qualidade.

Talvez você queira receber as nossas atualizações direto na caixa de entrada do seu email. Então assine o nosso boletim e garanta não perder nenhum conteúdo!


Imprimir ou salvar este artigo como PDF



Shopping



3 comentários :
  1. Adorei! O meu é Kit Kat :DDD Nem gosto, magina:P

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. =] - Em janeiro teremos muitas novidades. Se inscreva no blog DiGa Tech para não perdê-las!

      Excluir
  2. Olá internauta!

    Antes que eu me esqueça, se você tiver alguma dúvida, sugestão ou informação que complemente este conteúdo, por favor, compartilhe conosco através de um comentário.

    Um abraço!

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do blog DiGa Tech. Ao se manifestar através desta plataforma, você alega estar em conformidade com a nossa política de comentários. Caso fique em dúvida, leia as perguntas frequentes e saiba o que consideramos inapropriado ou ilegal. Viu algum comentário que viola os nossos termos gerais de uso? Então denuncie!